terça-feira, 24 de janeiro de 2017

Japanese Curry

Caril japonês -Carne de Porco -Molho Tonkatsu -Água -especiarias asiáticas -Azeite e Cebola -Molho Inglês -Molho de Soja -Sal a gosto

segunda-feira, 14 de abril de 2014

Chili Con Carne

-Azeite e cebola -Carne picada -Vinho branco -molho de tomate -molho bolonhesa -especiarias do méxico -Pimento vermelho -Pimento verde -Tabasco -Milho -Feijão encarnado -Molho/água do feijão encarnado Arroz para acompanhamento

quinta-feira, 23 de dezembro de 2010

Francesinha

-Azeite, cebola e folha de Louro -2 cervejas -Vinho branco -Whisky -Piri Piri -Mostarda -Molho de Tomate -Creme de Marisco

sexta-feira, 13 de agosto de 2010

Sensações.

Ver é duvidar, ouvir é ser enganado. Sentir é aprender...

. Ed Parker, American Kenpo Founder

quarta-feira, 14 de julho de 2010

Heart.

Onde anda a minha película?
Por alguma razão, sinto que alguém me quebrou aquela películazinha que o meu coração costumava ter, que me tranquilizava em momentos mais delicados.
Sinto-me frágil, a nu, como que um guerreiro sem o seu escudo.

quinta-feira, 17 de junho de 2010

Liberdade

O que é a Liberdade? Liberdade é aquela sensação pela manhã, com o sol a romper-nos pela janela. Liberdade é ouvir os passarinhos e sentir a brisa matinal. Liberdade é estar presos, sim, preso, à vida, porque vida é sinónimo de liberdade, como uma pomba branca num céu azul bebé, voando, e apenas sentindo... Liberdade é sentir. Liberdade é amar e ser amado. Liberdade é entender como amar e ser amado de volta. Liberdade é, é ... não saber o que significa... é ficar com um sorriso na cara, pois a liberdade é como o vento, só sabemos que ela existe sentindo.

segunda-feira, 24 de maio de 2010

De Quem é o Presente?

Perto de Tóquio vivia um grande samurai idoso que agora se dedicava a ensinar o zen aos jovens. Apesar de sua idade, corria a lenda de que ainda era capaz de derrotar qualquer adversário. Certa tarde, um guerreiro conhecido por sua total falta de escrúpulos apareceu por ali. Era famoso por utilizar a técnica da provocação: esperava que seu adversário fizesse o primeiro movimento e, dotado de uma inteligência privilegiada para reparar os erros cometidos, contra-atacava com velocidade fulminante. O jovem e impaciente guerreiro jamais havia perdido uma luta. Conhecendo a reputação do samurai, estava ali para derrotá-lo, e aumentar sua fama. Todos os estudantes se manifestaram contra a ideia, mas o velho aceitou o desafio. Foram todos para a praça da cidade, e o jovem começou a insultar o velho mestre. Chutou algumas pedras em sua direcção, cuspiu em seu rosto, gritou todos os insultos conhecidos, ofendendo inclusive seus ancestrais. Durante horas fez tudo para provocá-lo, mas o velho permaneceu impassível. No final da tarde, sentindo-se já exausto e humilhado, o impetuoso guerreiro retirou-se.
Desapontados pelo fato de que o mestre aceitar tantos insultos e provocações, os alunos perguntaram: - Como o senhor pode suportar tanta indignidade? Por que não usou sua espada, mesmo sabendo que podia perder a luta, ao invés de mostrar-se covarde diante de todos nós?
- Se alguém chega até você com um presente, e você não o aceita, a quem pertence o presente?
- A quem tentou entregá-lo - respondeu um dos discípulos.
- O mesmo vale para a inveja, a raiva, e os insultos - disse o mestre - Quando não são aceitos, continuam pertencendo a quem os carregava consigo. A sua paz interior, depende exclusivamente de você. As pessoas não podem lhe tirar a calma, só se você permitir...